terça-feira, 29 de novembro de 2011

De lua...


A entrega sempre foi forte,
Sem senso crítico.
Imensa, lanço-me pros seus braços,
Te abraço, te conduzo, te acolho...
Impressionado, você se encanta...
Canta pelos meus caminhos...
Sem juízo, refaz todas as trilhas,
Trilhas antigas que se renovam a cada passo. 

Novamente acaricia-me os traços,
Traços enigmáticos iluminados pela lua.
Tudo de muito louco se perpetua, explode!
Sua sem minha autorização me faço, não indago.

Vez em quando arredia me nego,
Me afasto e protesto.
Protesto a favor da vivacidade,
Do brilho nos olhos, da paixão.
Você entende e logo vem sem medo da contramão. 

Sei que sou de lua,
Vivo de fases,
Falando frases,
Vez em quando com quase
Na base do êxtase. 

Amo mesmo o amor que começa com risadas
E termina num beijo quente sem piada.
O amor que em minha alma situa é risonho
Cheio de sonhos, criativo e intenso.


(( Camila Senna ))

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Quer saber...



Cheguei nesse mundo nua de alma e corpo,
Por que a sociedade implica se assim manter-me?
Pelo menos a alma, mas quer saber?!
Quero que se foda a foda da sociedade.





Camila Senna 

domingo, 30 de outubro de 2011

Eu Simplesmente Amo-te




 Eu amo-te sem saber como, ou quando, ou a partir de onde. Eu simplesmente amo-te, sem problemas ou orgulho: eu amo-te desta maneira porque não conheço qualquer outra forma de amar sem ser esta, onde não existe eu ou tu, tão intimamente que a tua mão sobre o meu peito é a minha mão, tão intimamente que quando adormeço os teus olhos fecham-se.


Pablo Neruda, in "Cem Sonetos de Amor" 



quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Dois em um...



Quem dera todos os dias
Esse olhar, essa alegria.
A vida deu voltas
E numa dessas, trouxe-me você. 


Sinto que você, da minha vida,
Não passará assim sem nada deixar.
Tudo é especial e inebriante
Quando na rua caminho contigo. 

Mãos rústicas que quando tocam em mim
Se convertem, ficam leves.
Sinto o mundo vazio,
Ouço o vento declamar poesias de amor.

Sinto meu coração cheio,
Transbordando emoção.
As sensações são mágicas,
Singelas e pequeninas. 

Quando de repente acordo,
Me vejo sem eira nem beira,
Com meus pés com poeira
E só, sozinha pelas ruas, chorosa. 

Meu caminho é distante do seu,
Mas nossos corações
Caminham em sintonia
Numa só melodia. 

Sinto você em mim,
Mesmo partindo.
Sinto você tocando em mim,
Mesmo estando numa multidão. 

Esse castelo cheio de dragões
Que você criou na sua mente
Para mim são inexistentes,
Apenas um medo profundo de errar. 

Mais somos iguais.
Você não acha,
Se engana o tempo todo
Dizendo isso, aquilo. 

Mais somos um.
Por ironia?
- Creio que por poesia
Poesia torta por aparência
Certa por uma questão de alma.


(( Camila Senna )))

segunda-feira, 24 de outubro de 2011



O tempo é inimigo para alguns,
Mas para mim, amigo...
Mesmo contando todos os desencontros,
Somando todos acertos e desatinos,
O tempo é perfeito, o tempo é lindo.

Sei que muitos falam do tempo
Uns o odeiam, acham o cruel, um vilão.
Eu gosto de sentir o tempo passar por mim,
Encontro-me com ele todos os dias e não canso.

Sei que o tempo de muitas auroras, na minha jornada, irá chegar.
Às vezes sinto-o calado, distante, mas sempre presente.
Afinal, tudo tem seu tempo, ele também tem fases,
Vive calmo, às vezes agitado, às vezes sereno,
E com os que merecem, não sei o porquê, descontente.

Se não existisse o tempo,
Como lembraríamos dos momentos únicos?
Seja de encontro familiar harmonioso,
Ou um amor que te marcou o coração, a alma e o corpo todo.

Tempo preciso, amigo, inimigo.
Até nas fotografias se faz antigo, eterno.
Com o tempo sinto-me mais mulher,
Sinto-me forte... Sinto-o em MIM.
Sinto também carência, urgência e saudade.

Saudade de vários tempos que nunca, nunca,
Jamais voltarão, aí entra a saudade regada de solidão
Batendo a porta na cara de nossas preciosas lembranças, dizendo não.

Faz parte do tempo o nascer, o desabrochar,
O descobrir-se, o riso, o choro, a perda, os lugares.
Imagina tudo isso costurado pelo tempo...
Guardado numa caixinha mágica chamada coração?
Para os sensíveis: muita emoção.
Emoção? - Eu sou!


((( Camila Senna ))


terça-feira, 18 de outubro de 2011

Manuel Bandeira



O vento varria as folhas,
o vento varria os frutos,
o vento varria as flores…
E a minha vida ficava
cada vez mais cheia
de frutos, de flores, de folhas.
O vento varria as luzes,
o vento varria as músicas,
o vento varria os aromas…
E a minha vida ficava
cada vez mais cheia
de aromas, de estrelas, de cânticos.
O vento varria os sonhos
e varria as amizades…
o vento varria as mulheres.
E a minha vida ficava
cada vez mais cheia
de afetos e de mulheres.
O vento varria os meses
e varria os teus sorrisos…
o vento varria tudo!
E a minha vida ficava
cada vez mais cheia
de tudo.

” 
 
 Canção do vento e da minha vida, Manuel Bandeira

Essa Pequena

Meu tempo é curto, o tempo dela sobra
Meu cabelo é cinza, o dela é cor de abóbora
Temo que não dure muito a nossa novela, mas
Eu sou tão feliz com ela


Meu dia voa e ela não acorda
Vou até a esquina, ela quer ir para a Flórida
Acho que nem sei direito o que é que ela fala, mas
Não canso de contemplá-la


Feito avarento, conto os meus minutos
Cada segundo que se esvai
Cuidando dela, que anda noutro mundo
Ela que esbanja suas horas ao vento, ai


Às vezes ela pinta a boca e sai
Fique à vontade, eu digo, take your time
Sinto que ainda vou penar com essa pequena, mas
O blues já valeu a pena



Chico Buarque

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Camaleoa...




Enigmática às vezes
Divertida quando no fundo estou triste...
Séria e zen quando as coisas fluem bem.
Mais o meu natural mesmo é não ser normal. 

Meus pés criam asas do nada...
Tenho asas invisíveis que só eu sei.
Só eu sei o tamanho,
Só eu sei o preço que eu pago, só eu sei. 

Essa cocaína que naturalmente exalo
É de mim, mora nas entranhas
Das estranhezas de minha alma.
Alma sincera, quando maliciosa, camaleoa. 

Minha cor não tem cor definida
Todas as mulheres moram em mim.
Às vezes inflama e bum, explode!
Sou paixão, terreno perigoso,
Contramão para os indecisos e logo aviso!...
Não ouse entrar sem total asserção. 

Figo viçoso
Flor de espinho
Vinho sozinho
Carinho sem ninho
Destino sem direção.

Não tenho certeza de muitas certezas...
Quimera, sorriso, fada
Atmosfera sem muito sentido,
Primavera fora de época,
Triste sem preconceito de ser...
Idealista sem inquisição,
Nômade com endereço certo.

Espelho, espelho meu...
Quem de verdade, sou eu?
Uma fulana,
Uma sicrana
Ou uma beltrana. 

No fundo, no fundo,
Quero morrer sem saber
Vai perder a graça,
A graça dos meus traços...
Eles escorrem e saem sem medo por aí,
Sem lei, invisível, indomável.

Girando, cantando, sorrindo...
Chorando, chorando, chorando,
Esperando, desejando, possuindo...
Em chamas!
Liberta sem trama, sem máscara.
Só com um sorriso largo, seja feliz ou triste
Meu verdadeiro estado.


(( Camila Senna ))

Ney Matogrosso - Poema



Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás

...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A um ausente...






Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.



Carlos Drummond de Andrade.


quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Onde Deus Possa Me Ouvir...


Música de Vander Lee, sendo cantada com maestria pelo cantor,

Leandro Léo

Sabe o que eu queria agora, meu bem...?
Sair chegar lá fora e encontrar alguém
Que não me dissesse nada
Não me perguntasse nada também
Que me oferecesse um colo ou um ombro
Onde eu desaguasse todo desengano
Mas a vida anda louca
As pessoas andam tristes
Meus amigos são amigos de ninguém.
Sabe o que eu mais quero agora, meu amor?
Morar no interior do meu interior
Pra entender porque se agridem
Se empurram pro abismo
Se debatem, se combatem sem saber
Meu amor...
Deixa eu chorar até cansar
Me leve pra qualquer lugar
Aonde Deus possa me ouvir
Minha dor...
Eu não consigo compreender
Eu quero algo pra beber
Me deixe aqui pode sair.

Adeus...


Mar marrom...



Ando navegando na minha pupila...
Em volta só vejo mar...
Mar marrom.

Vejo tantos afogados...
Vejo os que foram salvos
Me vejo!

Me vejo com frio, com saudade...
Mais forte!
Na ilha da minha pupila.


 ((( Camila Senna )))


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Tarde em Itapoã


Vinicius de Moraes

Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho
Na voz da gloriosa Maria Bethânia
 
 
Um velho calção de banho
O dia pra vadiar
Um mar que não tem tamanho
E um arco-íris no ar
Depois na praça Caymmi
Sentir preguiça no corpo
E numa esteira de vime
Beber uma água de coco
É bom
Passar uma tarde em Itapuã
Ao sol que arde em Itapuã
Ouvindo o mar de Itapuã
Falar de amor em Itapuã
Enquanto o mar inaugura
Um verde novinho em folha
Argumentar com doçura
Com uma cachaça de rolha
E com o olhar esquecido
No encontro de céu e mar
Bem devagar ir sentindo
A terra toda a rodar
É bom
Passar uma tarde em Itapuã
Ao sol que arde em Itapuã
Ouvindo o mar de Itapuã
Falar de amor em Itapuã
Depois sentir o arrepio
Do vento que a noite traz
E o diz-que-diz-que macio
Que brota dos coqueirais
E nos espaços serenos
Sem ontem nem amanhã
Dormir nos braços morenos
Da lua de Itapuã
É bom
Passar uma tarde em Itapuã
Ao sol que arde em Itapuã
Ouvindo o mar de Itapuã
Falar de amor em Itapuã

sábado, 20 de agosto de 2011

Rita Lee - Ovelha Negra






Sempre...



Sempre a fui a mais julgada,
Mas nunca me condenei.
Sempre amei mais que os outros,
Mas nunca me amaram tal como eu sou.
Sempre fui a distraída, a sem juízo, a sem futuro,
Mas fui a única que deu frutos.


((( Camila Senna )))


Foi assim...



Onde foi que me perdi?
Será que numa neblina
Dum dia vulgar?
Ou num sol quente
Dum dia espinhoso sem mar?
Mas já resolvi:
A primeira não quero mais encontrar
Perdi minhas digitais,
Rasguei minhas roupas,
Queimei os fatos,
Tirei os sapatos,
Apaguei as pegadas. “Sumi!”
Quando me revi, foi assim:
Cheia de desígnio,
Cheia de “sim”,
Sangrando sexo
Abortando o tédio,
Estuprando o amor,
Exalando minha cocaína natural. 


  ((( Camila Senna )))
 
 
 

A liberdade e a prisão







Ter um barco que percorra distâncias incríveis
Saber remendar um sapato
Encontrar um amor
Amor de verdade
Ser vento, ser luz, fogo ou carvão
Tudo, tudo, tudo
Menos esta ratoeira”


(Poema de Patrícia Galvão, não publicado e sem título) 


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Pagu...


Rita Lee

Composição: Rita Lee e Zélia Duncan

Mexo, remexo na inquisição
Só quem já morreu na fogueira
Sabe o que é ser carvão

Uh! Uh! Uh! Uh!...

Eu sou pau prá toda obra
Deus dá asas à minha cobra

Hum! Hum! Hum! Hum!


Minha força não é bruta
Não sou freira
Nem sou puta...
Porque nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem

 
Nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem...

Ratatá! Ratatá! Ratatá!
Taratá! Taratá!...
Sou rainha do meu tanque
Sou Pagu indignada no palanque
Hanhan! Ah! Hanran!
Uh! Uh!


Fama de porra louca
Tudo bem!
Minha mãe é Maria Ninguém
Uh! Uh!...

Não sou atriz
Modelo, dançarina
Meu buraco é mais em cima

 
Porque nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem...

Nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem...(2x)
Ratatá! Ratatatá
Hiii! Ratatá
Taratá! Taratá!...


sexta-feira, 5 de agosto de 2011

João de Barro - Leandro Léo



O meu desafio é andar sozinho
Esperar no tempo os nossos destinos
Não olhar pra trás, esperar a paz
O que me traz
A ausência do seu olhar

Traz nas asas um novo dia
Me ensina a caminhar
Mesmo eu sendo menino aprendi

Oh meu Deus me traz de volta essa menina
Porque tudo que eu tenho é o seu amor
João de Barro eu te entendo agora
Por favor me ensine como guardar meu amor

Continuar...



 Meu sonho,
É o mesmo de quando criança...
Mudou o caminho,
Por sorte, entrei no alinho. 
 
Sinto falta do cheiro do antigo lar,
Do olhar do meu pai.
Da felicidade que tinha e não sabia,
Hoje sei. 
 
Sei que não existe
Família melhor ou pior...
Existem pessoas diferentes,
Mas que se amam intrinsecamente. 
 
Eu fiz o que toda criança faz:
Brincar.
Eu fui o que todo adolescente é:
Rebelde. 
 
Hoje eu faço poesia,
Rimo minha vida,
Decoro meu coração,
Me peço perdão. 
 
Entendo minha arte,
Sou chamada de "mãe".
Arrependo-me de ter dito
Poucos e longos "te amo".

Meu coração é apertadinho...
Bem no fundo do lago negro
Dos meus expressivos olhos,
Nada a tristeza, boia a solidão. 
 
Mesmo com minhas marcas...
Já decidi! Vou continuar...
Preciso continuar
Continuar a sonhar. 



 

((( Camila Senna )))




Caetano Veloso - "Sampa" - Arquivo - Trama/Radiola 13/10/08



Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta de tuas meninas

Ainda não havia para mim Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João

Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos mutantes

E foste um difícil começo
Afasto o que não conheço
E quem vende outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue e destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços
Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva

Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
Mais possível novo quilombo de Zumbi
E os novos baianos passeiam na tua garoa
E novos baianos te podem curtir numa boa



Bem-te-vi...


O pássaro bem-te-vi,
Não me viu...
Eu o vi, até o quis.
Quis ouvi-lo,
Quis estar a voar...
Sem tino,
Perdida,
E sem horas para chegar.
((( Camila Senna )))

domingo, 31 de julho de 2011

Tive sorte...

CAMILA SENNA

Nos descaminhos da vida tiveram espinhos...
E sozinha me deparei com moinhos e sai do alinho.
Mas tive a sorte de encontrar alguém sincero que por
mim tinha esmero...
E pelas estações da vida, fui galgando e sonhando, 
Com meu coração vibrando, buscando a utopia real que é celestial.
E o que era controverso, virou verso,
Poesia que encanta e os males espanta.
E em todas as alvoradas me torno sua eterna
namorada...
Nossa essência é divina, me pego a sorrir feito menina,
Que cresceu fortalecida.


((( Camila Senna )))

Sol a brilhar no meu caminhar...


Amanheci querendo mais de mim, da vida...
Fiquei na ponta dos pés ousando tocar as nuvens...
O céu disse: "vai menina, você pode tudo que sonhar, basta somente acreditar".
Quis flutuar e o vento me disse: "tire de dentro de ti tudo que lhe pese a alma que conseguirás".
Quis atravessar para em outra rua da minha vida chegar...
Então o sol me disse: "sonhe alto mais com os pés nos chão
que eu te mostro o caminho, e amanhã estou eu de novo a brilhar no seu caminhar".


((( Camila Senna )))

Irá chegar...


Felicidade venha me visitar...
E de uma vez por todas me fazer aflorar.
Meu espírito inquieto está...
A agonia toma conta da minha alegria.
Essa melancolia há de passar...
Preciso de forças para aguentar
Que o bom da vida irá chegar.


((( Camila Senna )))


É ser eterna...



Ser mãe é ser poeta...
Ser mãe é ser coragem...
Ser mãe é ser abrigo...
Ser mãe é enlouquecer...
Ser mãe é ser pai se for preciso...
Ser mãe é chorar de alegria...
Ser mãe é morrer de saudade...
Ser mãe é ser eterna...
Pois não a nada nesta vida, que as supera.

((( Camila Senna )))

Um dia...

 
 
O destino te trouxe pra mim...
Me fez ser tua sem ao menos planejar ser...
Me fez refém dessa paixão que virou amor... E por ser proibido virou prisão e solidão...
Um dia quem sabe nossas ruas voltem a se encontrar...
A vida é um mar de surpresas.
O tempo passa...
O inesperado acontece...
E o que tiver que ser, será. (Sempre será).

Não importa o tempo que passar a gente vai se encontrar...
E de uma vez selar aquilo que aberto ficou...


((( Camila Senna)))

Eles são incríveis...


Especiais eles são, dotados de pureza e sinceridade.
Olhar triste, pidão, carente...
Esperando no entanto só um “oi”.
Um sorriso...
Abraço? Ah, isso é o que eles mais gostam...
São carinhosos e desinteressados de coisas materiais.
O que eles curtem mesmo, é serem notados.
O que eles necessitam mesmo, é de afagos, atenção e respeito.
Se por um acaso da vida...
Encontrares com algum desses anjos...
Olhem os com apreço.
Se caso conheceres um não o despreze.
Ele sentirá através do seu olhar...
Porque são sensíveis e percebem quando não gostam deles.
Feliz é aquele que tem amor de um down é algo inexplicável.
Eles são incríveis, são verdadeiros...
Quando gostam, gostam mesmo!
Ao invés de excluir é dever nosso incluir.
Eles não são diferentes de outras crianças...
Muito pelo contrário, são crianças especiais.
Em que o “Pai” e a “Mãe” lutam pela igualdade social...
Pela inclusão, almejando ver seus anjos especiais galgando
e olhando para o mesmo horizonte que qualquer outra criança que a  sociedade “julga” ser normal.

Eu tive o amor de um down, e você?


(((Camila Senna)))



Lá vou eu...


Me despeço de ti, de mim...
O que foi saudade, vira maturidade...
A princesa,
Vira rainha.
A menina,
Vira mulher.
A bela continua bela...
A estrada turva com várias curvas permito-me passar...
Para outro estágio em minha vida chegar!...
Chegando! Lá vou eu em meu futuro brilhar.

((( Camila Senna )))




Te mostro o caminho...

CAMILA

Te chamo por sonhos...
Siga a trilha dos meus passos...
Decifrando-me o corpo me enchendo de paixão...
Vou me despir de tudo que seja casca...
Quero ter asas para em teus pensamentos voar e de uma vez habitar.
Me pegue em teus braços macios que eu te mostro o caminho...
Caminho esse que nunca mais se apagará...
Vem com tuas feras que eu te mostro vida bela...
Vem com teus desejos que eu te mostro o que te espera.

((( Camila Senna )))